Respeite a arte! Ao reproduzir em outros lugares a obra de algum artista, cite o autor. Todas as poesias aqui presentes foram escritas por Mao Punk.

Visite também meu blog de textos: RESQUÍCIOS DEPRESSIVOS, SUJOS E NOJENTOS .
Textos que expõem a fragilidade e indecência humanas de forma irônica, metafórica e sem embelezamentos.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

SONETO DO ADEUS CONCRETO

Minha poesia de adeus é triste,
Não pelo adeus que em si já me afeta
Mas por esta mágoa que se acarreta
Pela indiferença que me admitiste.

Dos afetos dados, qual feriu teu ego?
Quais de meus carinhos tem nos afastado?
Quantos destes tantos beijos foram dados
Sem merecimento algum de meu apego?

Já que estive só estando a teu lado
E não lhe tocara todo meu agrado,
Dou-lhe adeus. Embora meu semblante

Seja triste, fico aliviado
Pois prefiro estar acabrunhado
Que beijar a quem me quer distante.

4 comentários:

  1. Adorei a poesia, muito bem escrita, linda!Bjs

    ResponderExcluir
  2. nossa Mão está falando por mim nesta poesia =)

    ResponderExcluir
  3. O adeus bem que podia ser fácil né? ...

    ResponderExcluir
  4. A Deus fosse a Morte próxima, que alívio sentiria! Pela ascensão para a alma e pelo fim dessa agonia - de dizer a Deus alguém, sempre como uma peleja, e de sofrer a existência distante e viva de quem se deseja.

    ResponderExcluir