Respeite a arte! Ao reproduzir em outros lugares a obra de algum artista, cite o autor. Todas as poesias aqui presentes foram escritas por Mao Punk.

Visite também meu blog de textos: RESQUÍCIOS DEPRESSIVOS, SUJOS E NOJENTOS .
Textos que expõem a fragilidade e indecência humanas de forma irônica, metafórica e sem embelezamentos.

sábado, 17 de dezembro de 2011

SONETO EXAGERADO

Todo este azul que vem do firmamento
Acinzentou? E o Sol? Nem mesmo a Lua
Que quando nova mostra-se obscura
Faz breu maior que o Sol que agora enfrento.

E sobre as cores? Foram-se com o vento?
As flores deste agora estão impuras
A carregar um tanto de tortura!
Ou meu olhar que anda em desalento?

Então me afogo em tanto contratempo
Sem suportar o vão deste lamento,
Sem entender razão que me amargura.

É quando noto que meu pensamento
De lhe perder de vista um só momento
Me faz entregue a esta desventura.

2 comentários: